Bifurcação atractiva

"É sabido como os nossos pensamentos, tanto os da inquietação como os do contentamento, e outros que nem são disto nem daquilo, acabam, mais tarde ou mais cedo, por cansar-se e aborrecer-se de si mesmos, é só questão de dar tempo ao tempo, é só deixá-los entregues ao preguiçoso devanear que lhes veio da natureza, não lançar na fogueira nenhuma reflexão nova, irritante ou polémica, ter, sobretudo, o supremo cuidado de não intervir de cada vez que diante de um pensamento já por si disposto a distrair-se se apresente uma bifurcação atractiva, um ramal, uma linha de desvio. Ou intervir, sim, mas para o impelir com delicadeza pelas costas, principalmente se é daqueles que incomodam, como se estivéssemos a aconselhá-lo, Deixa-te ir por aí, que vais bem".

José Saramago, Todos os Nomes (p.186).

Comentários

Anônimo disse…
Oi Reges,
eu recomendo (caso vc não tenha lido) "História do Cerco de Lisboa". bjs Vera Martins
Reges.ts disse…
Oi Vera
Obrigado pela dica. "História do Cerco de Lisboa" entrou para a lista.
Bjs