A viagem excêntrica

"Ocorre-me que a mesma postura deve nortear nosso caminho pessoal, como nossos próprios mestres, ou pais. Não a viagem em linha reta, mas a viagem excêntrica. Essa navegação, a propósito, é bastante similar às formas virtuais de acesso ao conhecimento que hoje compartilhamos. Trata-se de uma aproximação "por janelas", e nunca através de uma única porta. Um derramar de verdades, que se completam, se anulam, se distorcem _ se enriquecem _, ignorando a perspectiva de um ponto final. Trata-se, no fim das contas, de uma ética". 

José Castelo, A ética segundo Roland Barthes, em sua coluna/blog em O Globo

Comentários