domingo, 27 de abril de 2014

15. trazido junto

"O primeiro armário que se abriu por minha vontade foi a cômoda. Bastava-me puxar o puxador, e a porta, impelida pela mola, se soltava do fecho. Lá dentro ficava guardada minha roupa. Mas entre todas as camisas, calças, coletes, que deviam estar ali e dos quais não sei mais, havia algo que não se perdeu e que fazia minha ida a este armário parecer sempre uma aventura atraente. Era preciso abrir caminho até os cantos mais recônditos; então, deparava com as minhas meias que ali jaziam amontoadas, enroladas e dobradas na maneira tradicional, de sorte que cada par tinha o aspecto de um bolso. Nada superava o prazer de mergulhar a mão no seu interior tão profundamente quanto possível. E não apenas pelo calor da lã. Era o ‘trazido junto’ (das Mitgebrachte), enrolado naquele interior que eu sentia na minha mão e que, desse modo, me atraía para aquela profundeza. Quando encerrava no punho e confirmava, tanto quanto possível, a posse daquela massa suave e lanosa, começava então a segunda etapa da brincadeira que trazia a empolgante revelação. Pois agora me punha a desembrulhar o ‘trazido junto’ de seu bolso de lã. Eu o puxava cada vez mais próximo de mim até que se consumasse o espantoso: o ‘trazido junto’ tinha sido totalmente extraído do seu bolso, porém este último não estava mais. Não me cansava de provar aquela verdade enigmática: que a forma e o conteúdo, o envoltório e o envolvido, o ‘trazido junto’ e o bolso, eram uma única coisa e, sem dúvida, uma terceira: aquela meia em que ambos haviam se convertido."
Walter Benjamin


É o trecho que abre uma das sessões da pesquisa "Narrativas e cidades: uma cartografia de paisagens possíveis para o jornalismo", de Ana Cláudia M. de Andrade Peres, dissertação defendida no PPGCOM/UFF e disponível aqui.

Na página 45: este recorte é parte de “Schrãnke” (“Armários”, em alemão), retirado de Infância em Berlim por volta de 1900, de Walter Benjamin. "O texto é citado por Jeane-Marie Gabnebin, em artigo intitulado Por que um mundo todo nos detalhes do cotidiano?, que integra o dossiê sobre Walter Benjamin da Revista da USP (2010). Disponível aqui numa tradução ligeiramente modificada, segundo a autora. Na edição da Editora Brasiliense, 'das Mitgebrachte', aqui 'trazido junto', é traduzido como 'tradição'. Nesta pesquisa, tomamos a leitura de Jeane-Marie Gagnebin.".  

Nenhum comentário: